in

A decisão de Alexandre de Moraes foi estúpida, mas há um ataque orquestrado ao STF

A decisão de Alexandre de Moraes de censurar um veículo de imprensa foi errada. E estúpida. Mas ela não pode servir para esconder que estão em curso iniciativas bolsolavajatistas de desqualificação da Corte, nem para dar razão aos que querem açular a ira e o ressentimento populares contra a instituição.

Ocorre que há, de fato – e não é de hoje -, um ataque orquestrado bolsolavajatista ao STF.

“Sustentar o fogo [contra o STF] porque a vitória é nossa” – diz um general (Paulo Chagas). Não sabia que estávamos em guerra. Deve ser a tal guerra contra o “inimigo interno” da ideologia militarista.

Convenhamos. Isso não é a fala de um ou outro maluco. É uma campanha orquestrada pelo bolsonarismo, com o apoio do lavajatismo. Não pode ser enquadrado como liberdade de opinião, de expressão. É desqualificação da Corte. É incitação, instrumentalização da ira e do ressentimento popular contra uma instituição do Estado democrático de direito.

Vejam alguns exemplos – que estão longe de ser casos isolados. Basta acompanhar as hashtags subidas artificialmente pelos bolsonaristas para os TT do Twitter:

Isabella Sanches de Sousa Trevisani em 23 de março:

“STF Vergonha Nacional! A vez de vocês está chegando.”

Carlos Antonio dos Santos em 14 de março:

“É desanimador o fato de tantos brasileiros ficarem alheios ao que a Quadrilha STF vem fazendo contra a nação”.

Erminio Aparecido Nadin em 21 de março.

“Não tem negociação com quem se vendeu para o mecanismo. Destituição e prisão. Fora STF”.

Do mesmo Ermínio:

“Máfia do STF: empunha papeis e canetas, protege criminosos, cobra propina de proteção de corruptos, manipula a lei, mata pessoas.”

Omar Rocha Fagundes em 14 de março:

“O nosso STF é bolivariano, todos alinhados com narcotraficantes e corruptos do País”.

Do mesmo Osmar, em 16 de março:

“O Peru fechou a corte suprema do país. Nós também podemos! Pressão total contra o STF”.

General Paulo Chagas em 16 de março:

“A pressão popular sobre os ministros do STF está surtindo efeito. Se quem não deve não teme, por que Gilmar Mendes e Toffolli estão tão agressivos? O desespero indica que estamos no caminho da verdade! “Sustentar o fogo porque a vitória é nossa”.

A senha para tudo isso foi dada pelo chefe das milícias bolsonaristas nas mídias sociais, Eduardo Bolsonaro, que declarou em 21 de outubro de 2018 (e está gravado em vídeo):

“Cara, se quiser fechar o STF, sabe o que você faz? Você não manda nem um jipe. Manda um soldado e um cabo. Não é querer desmerecer o soldado e o cabo, não… O que é o STF? Tira o poder da caneta de um ministro do STF. Se prender um ministro do STF, você acha que vai ter uma manifestação popular a favor do ministro do STF, milhões na rua?”.

OS MALUCOS ESTÃO SOLTOS

Aproveitando oportunisticamente o incidente e a pretexto de defender a democracia, os bolsonaristas – que não são democratas – pedem agora intervenção militar, ou seja, pedem um golpe de Estado contra a democracia.

Vocês estão acompanhando o que está acontecendo? Bolsonaristas emplacaram em primeiro lugar dos TT no Twitter a hashtag #Artigo142Já. É uma loucura que a ala anti-establishment do governo (composta pelos olavistas-bolsonaristas) esteja estimulando isso. E é inacreditável que militares-intervencionistas da linha dura (como o general Paulo Chagas) estejam jogando gasolina na fogueira. Esses autocratas aproveitaram a besteira de Alexandre de Moraes para voltar a orquestrar a luta contra as instituições do Estado democrático de direito que não estão sob seu comando e para pedir intervenção militar.

O que diz o Artigo 142 da Constituição? Fala sobre as atribuições das Forças Armadas. Só isso. Leiam:

“As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”.

O que eles – os bolsonaristas, neste caso aliados aos lavajatistas – estão querendo com a hashtag #Artigo142Já? Estão pedindo que Bolsonaro convoque uma intervenção militar para garantir a lei e a ordem, supostamente violadas pelo Supremo Tribunal Federal. Ora… a decisão de Alexandre de Moraes de censurar um veículo de comunicação foi incorreta, além de suicida (como estamos vendo pelos seus resultados adversos). Mas isso está longe de configurar ditadura, violação do regime democrático.

Ou seja, contra um golpe inexistente os bolsonaristas estão pedindo um verdadeiro golpe de Estado. Não estão pedindo apenas para o STF rever a decisão de um ministro, mas o fechamento da instituição. É uma total irresponsabilidade.

Infelizmente, até nossos supostos liberais caíram na armadilha.


Democracy Unschool é um ambiente de livre investigação-aprendizagem sobre democracia, composto por vários itinerários. O primeiro itinerário é um programa de introdução à democracia chamado SEM DOUTRINA. Para saber mais clique aqui

O caso dos antagonistas: liberdade de imprensa é pilar da democracia, mas eles não estão interessados em mais liberdade

O fim está próximo