Tofolli

,

Entenda por que, sem as ruas, não há saída

Por que não adianta acender uma vela para Moro e ir assistir tudo pela TV

Eles – os petistas que dirigem o partido ou têm mandato – são todos (ou quase todos) bandidos (todos, por exemplo, sabiam do mensalão, do petrolão, quando não se beneficiaram deles). Mas não há como pegá-los de uma vez dentro da democracia (nosso arcabouço legal é inepto para tanto).

Devemos respeitar o Estado de direito. Respeitando o Estado de direito, as instituições devem processá-los, um a um, por crimes comuns que tenham cometido (já que não há lei que caracterize e puna crimes políticos contra a democracia).

Esse caminho é longo e as leis que temos, mais uma vez, não ajudam a desbaratar organizações criminosas, muito menos as de caráter político (como o PT). Por isso aquelas 10 Medidas Contra a Corrupção eram tão importantes e foram destroçadas por corruptos de quase todos os partidos.

O processo paulatino de desmontar uma organização criminosa que foi erigida para praticar crimes políticos, a partir da condenação de seus membros que também cometeram crimes comuns (não há outro modo legal), é muito vulnerável às pressões políticas, sobretudo quando chega nos tribunais superiores.

É praticamente impossível fazer isso no curto prazo e a duração dos processos é tão longa que parte dos crimes acaba prescrevendo, além do quê a maioria dos criminosos tende a escapar de qualquer punição efetiva (por exemplo, os que não cometeram crimes comuns e os que cometeram crimes comuns de menor gravidade e receberão no máximo uma pena alternativa).

Se a Lava Jato não tivesse grande apoio popular, esse assunto já teria sido encerrado. E, mesmo assim, ele ainda pode ser encerrado, se as ruas não continuarem exigindo a punição dos culpados.

É preciso entender que os membros dos tribunais – salvo as exceções que confirmam a regra – não são independentes dos políticos que os indicaram. E que há muitos envolvidos – entre dirigentes partidários, senadores, deputados, governadores, prefeitos, juízes, grandes empresários e banqueiros que ainda não apareceram – que têm interesse em jogar uma pá de cal sobre tudo isso, pretextando que querem pacificar o país. Esses setores farão tudo que estiver a seu alcance para matar a Lava Jato e operações congêneres, inclusive apoiar a candidatura de Lula em 2018. Simplesmente porque eles não têm outra saída.

Os democratas também não temos outra saída a não ser as ruas (lato sensu, quer dizer, as manifestações da sociedade em todos os lugares, nas ruas propriamente ditas, nos locais de trabalho, estudo e lazer, nas nossas comunidades de vizinhança, de prática, de aprendizagem, de projeto, nos nossos grupos de amigos, nos meios de comunicação e nas mídias sociais). Um Gilmar Mendes não é uma pessoa perversa que apareceu do nada para barrar a Lava Jato. Um Reinaldo Azevedo não é um blogueiro de aluguel que surgiu para justificar tudo o que faz um Gilmar Mendes (e, pasme-se, também um Toffoli – e por essa ninguém esperaria). Se não fossem eles, seriam outros, escudados no legalismo, para justificar a manutenção do establishment – por medo, puro medo, da imprevisibilidade da política: o que revela uma mentalidade autoritária.

Os legalistas querem que as pessoas que foram às ruas exigir o impeachment de Dilma, pendurem as chuteiras e se mandem para suas casas, para assistir tudo pela TV. Agora seria a hora de deixar que as instituições funcionem. Mas as instituições estão funcionando – e esse é o problema! Elas estão funcionando como podem funcionar, no seu ritmo próprio, segundo a sua lógica característica – que não é a da sociedade. As instituições existem para manter o status quo, não para alterá-lo. Por isso é necessária, do ponto de vista democrático, a interferência da sociedade. Do contrário estaremos condenados a ficar nas mãos de um Toffoli (o que, se não é o pior dos mundos, está perto). Isso não tem nada a ver com descumprir as leis ou atentar contra a democracia. É legítima e legal a intervenção pacífica da sociedade nas democracias.

O legalismo não é o respeito às leis e ao Estado de direito. É uma ideologia que tenta encaixar a democracia dentro Estado de direito a marteladas (numa época em que as sociedades do século 21 não cabem mais dentro dos Estados do século 17). E, no caso dos personagens citados aqui como exemplos, é também uma maneira safada de dizer que a minha interpretação da lei é válida e a sua não. Os legalistas não têm vergonha de afirmar que Gilmar, Toffoli e Lewandowski – ao soltarem Dirceu, o Marcola da esquerda – estavam apenas obedecendo aos ditames do Estado de direito, deixando implícito que Fachin e Celso Mello estavam derruindo o Estado de direito e descumprindo as leis. O que é falso – e eles sabem que é falso – como uma nota de 17 reais. Um legalista, mais cedo ou mais tarde, se transforma num manipulador. Manipula a opinião pública, fundamentalmente, para evitar a mudança, pois imagina que é melhor ficar com o que já temos do que arriscar qualquer coisa que possa ameaçar o que já temos. Mas quando o que já temos apodreceu, o legalismo revela-se uma tenebrosa força regressiva.

 

 

 

15 Comments

Leave a Reply
  1. 987457 287013Naturally I like your web-site, even so you need to have to check the spelling on several of your posts. A lot of of them are rife with spelling troubles and I uncover it quite silly to inform you. On the other hand I will surely come once again once again! 585887

  2. I’d must examine with you here. Which is not one thing I often do! I take pleasure in studying a submit that can make individuals think. Also, thanks for allowing me to remark!

  3. Howdy! Quick question that’s totally off topic. Do you know how to make your site mobile friendly? My website looks weird when browsing from my iphone4. I’m trying to find a theme or plugin that might be able to correct this issue. If you have any recommendations, please share. Thank you!

  4. I use just spent the last few months creating a running a blog website from scratch and we are establishing on Mon. I was just wondering anybody knew several free ways to get it observed on google or through fan pages or something, various other cheap options would be great too thanks..

  5. I just want to mention I am just new to blogging and site-building and truly savored your website. More than likely I’m planning to bookmark your blog . You actually come with great article content. Many thanks for sharing your web page.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

Deixe seu comentário