in

Para uma Operação Mãos Limpas no Brasil

Das 54 pessoas condenadas na Operação Lava Jato, apenas 2 são dirigentes do “partido interno” (Dirceu e Vaccari) e somente 1 (André Vargas) representante eleito do PT. Vejam a tabela abaixo, da Wikipédia (atualizada em 15 de setembro de 2016):

Nome Cargo Entidade Envolvimento Resultado
Adir Assad Doleiro Condenado [1] Condenação por lavagem de dinheiro e associação criminosa a 10 anos e 10 meses
Alberto Youssef Doleiro, sócio-proprietário GFD Investimentos Condenado [2] [1] Condenação por lavagem de dinheiro a 9 anos e 2 meses (suspenso em razão de ultrapassar 32 anos, em razão das outras condenações) e multa de R$ 763 mil
Réu na Justiça Federal A julgar acusações de organização criminosa, formação de cartel, frustração à licitação, corrupção ativa e passiva, evasão fraudulenta de divisas, uso de documento falso e sonegação de tributos federais
André Catão de Miranda operador de câmbio e pagamentos GFD Investimentos Condenado [3] Condenação por lavagem de dinheiro a 4 anos em regime semiaberto
André Vargas Ex-deputado federal PTPR Condenado [4] [5] Condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 14 anos e 4 meses de reclusão e multa de 3 salários mínimos por 280 dias (mais de R$ 660 mil)
Augusto Ribeiro de Mendonça Neto Executivo Toyo Setal Condenado [1] Condenação por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa a 16 anos e 8 meses de reclusão
Carlos Alberto Pereira da Costa Sócio CSA Project Finance Consultoria Condenado [6] Condenação a prestação de serviços à comunidade (substituído por pena de 2 anos de reclusão)
Carlos Alberto Pereira da Costa Representante GFD Investimentos Condenado [3] Condenação por lavagem de dinheiro, substituída por restrição de direitos a 2 anos e 8 meses
Réu na Justiça Federal A julgar acusações de organização criminosa, formação de cartel, frustração à licitação, corrupção ativa e passiva, evasão fraudulenta de divisas, uso de documento falso e sonegação de tributos federais
Carlos Habib Chater Proprietário, doleiro Posto da Torre Condenado [3] Condenação por lavagem de dinheiro a 4 anos e 9 meses de prisão em regime fechado e por lavagem de dinheiro (noutro caso) a 5 anos e 6 meses em regime fechado
Cleverson Coelho de Oliveira Funcionário GFD Investimentos Condenado [3] Condenação por evasão de divisas, operação de instituição financeira irregular e pertinência a organização criminosa a 5 anos e 10 dias de prisão
Dalton dos Santos Avancini Ex-presidente do Conselho de Administração Camargo Corrêa Condenado [3] Condenação por corrupção, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa a 15 anos e 10 meses de prisão
Dario de Queiroz Galvão Ex-presidente Galvão Engenharia Condenado [7] Condenação por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, associação criminosa a 13 anos e 2 meses
Dario Teixeira Alves Júnior Executivo Galvão Engenharia Condenado [1] Condenação por lavagem de dinheiro e associação criminosa a 9 anos e 10 meses
Ediel Viana da Silva Funcionário GFD Investimentos Condenado [3] Condenação por lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos a 3 anos em regime fechado
Eduardo Hermelino Leite Ex-vice-presidente Camargo Corrêa Condenado [3] Condenação por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa a 15 anos e 10 meses de prisão
Erton Medeiros Fonseca Executivo Galvão Engenharia Condenado [7] Condenação por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, associação criminosa a 12 anos e 5 meses
Esdra de Arantes Ferreira Sócio Labogen Condenado [2] [3] Condenação por lavagem de dinheiro a 4 anos e 5 meses e multa de R$ 20 mil
Faiçal Mohamed Nacirdine Youssef Condenado [3] Condenação por operar instituição financeira irregular a 1 ano e 6 meses
Fernando ‘Baiano’ Antônio Falcão Soares Lobista Condenado [3] Condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 16 anos e 1 mês de prisão
Fernando Augusto Stremel Andrade Funcionário Construtora OAS Condenado [3] Condenação por lavagem de dinheiro a 4 anos de reclusão (pena substituída por prestações de serviços à comunidade e pagamento de multa de 50 salários mínimos)
Absolvido Absolvição de acusações de corrupção ativa e organização criminosa, por falta de provas
Gerson Almada Vice-presidente Engevix Condenado [6] Condenação por organização criminosa, corrupção ativa e lavagem de dinheiro por 19 anos de reclusão e multa de R$923 mil.
Iara Galdino da Silva Doleira Condenada [3] Condenação por evasão de divisas, operação de instituição financeira irregular, corrupção ativa e pertinência à organização a 11 anos e 9 meses de prisão
Jayme Alves de Oliveira Filho Ex-agente da Polícia Federal Youssef Condenado [3] Condenação por lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa a 11 anos e 10 meses
Jean Alberto Luscher Castro Executivo Galvão Engenharia Condenado [7] Condenação por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, associação criminosa a 11 anos e 8 meses
João Ricardo Auler Ex-presidente do Conselho de Administração Camargo Corrêa Condenado [3] Condenação por corrupção e de pertinência à organização criminosa a 9 anos e 6 meses de prisão
João Vaccari Neto Ex-tesoureiro PT Condenado [1] Condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 15 anos e 4 meses de reclusão
Jorge Luiz Zelada Ex-diretor da área Internacional Petrobras Denunciado pelo Ministério Público do Rio
Condenado [8]
Condenação por fraude em licitação a 4 anos de prisão
Denunciado pelo MPF
Condenado [9]
Condenação por corrupção e lavagem de dinheiro a 12 anos e 2 meses em regime fechado
José Aldemário Pinheiro Filho Presidente Construtora OAS Condenado [3] Condenação por organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro a 16 anos e quatro meses de reclusão
José Ricardo Nogueira Berghirolli Contato Youssef–Construtora OAS Condenado [3] Condenação por organização criminosa, lavagem de dinheiro a 11 anos de reclusão
Absolvido Absolvição de acusação de corrupção ativa, por falta de provas
José Dirceu Político PT Condenado [10] Condenação por corrupção passiva, recebimento de vantagem indevida e lavagem de dinheiro a 23 anos de prisão
Juliana Cordeiro de Moura Youssef Condenada [3] Condenação por evasão de divisas e de operação de instituição financeira irregular a 2 anos e 10 dias de prisão
Julio Gerin de Almeida Camargo Lobista Toyo Setal Condenado [1] Condenação por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa a 12 anos de reclusão
Julio Gerin de Almeida Camargo Executivo Toyo Setal Condenado [3] Condenação por corrupção ativa e lavagem de dinheiro a 14 anos de prisão (provável redução para 5 anos em regime aberto devido à delação premiada)
Denunciado pelo MPF [11] A avaliar denúncia de corrupção contra o sistema financeiro nacional
Leandro Meirelles Sócio Labogen Condenado [2] [3] Condenação por lavagem de dinheiro a 6 anos e 8 meses e multa de R$ 68 mil e por lavagem de dinheiro (noutro caso) a 5 anos e 6 meses e 20 dias e multa de R$ 171 mil
Leon Denis Vargas Ilário Irmão André Vargas Condenado [4 ][5] Condenação por lavagem de dinheiro a 11 anos e 4 meses de reclusão e multa de 2 salários mínimos por 160 dias (mais de R$ 252 mil)
Luccas Pace Júnior Operador de câmbio Youssef Condenado [3] Condenação por evasão de divisas, por operar instituição financeira irregular e pertinência a organização criminosa a 4 anos, 2 meses e 15 dias de prisão (redução à metade devido à delação premiada)
Luiz Argôlo Ex-deputado federal SDBA Investigado em inquérito [12] [13]
Condenado [14]
Condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 11 anos e 11 meses de reclusão
Marcelo Odebrecht Presidente Construtora Norberto Odebrecht Condenado [15] Condenação por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro a 19 anos e 4 meses de prisão
Marcio Andrade Bonilho Sócio Sanko Sider Condenado [2] Condenação por crime de organização criminosa e lavagem de dinheiro a 11 anos e 6 de prisão e multa de R$ 741 mil
Absolvido [3] Absolvição de outras acusações
Maria Dirce Penasso mãe de Nelma Kodama Youssef Condenada [3] Condenação por evasão de divisas e operação de instituição financeira irregular a 2 anos, um mês e 10 dias de prisão
Mario Frederico Mendonça Góes Lobista Odebrecht Condenado [1] Condenação por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa a 18 anos e 4 meses (reduzida a prisão domiciliar até agosto de 2016 e mais 2 anos de semiaberto devido à delação premiada)
Matheus Coutinho de Sá Oliveira Vice-presidente do conselho executivo Construtora OAS Condenado [3] Condenação por organização criminosa e lavagem de dinheiro a 11 anos de reclusão
Absolvido [3] Absolvição da acusação de corrupção ativa, por falta de provas
Nelma Mitsue Penasso Kodama Doleira Condenada [3] Condenação por evasão de divisas, operação de instituição financeira regular, corrupção ativa e pertinência a organização criminosa a 18 anos de prisão
Nestor Cerveró Diretor da área internacional Petrobras Condenado [16] [17] [18] Condenação por lavagem de dinheiro a 5 anos de prisão em regime fechado e multas de mais de R$ 500 mil e ressarcimento de R$1,14 milhoes
Denunciado pelo MPF [11] A avaliar denúncia de corrupção contra o sistema financeiro nacional
Paulo Roberto Costa Diretor de abastecimento Petrobras Condenado [2] Condenação por crime de organização criminosa e lavagem de dinheiro a 7 anos e 6 meses e multa de R$ 408 mil
Réu na Justiça Federal A julgar acusações de formação de cartel, frustração à licitação, corrupção ativa e passiva, evasão fraudulenta de divisas, uso de documento falso e sonegação de tributos federais
Pedro Argese Junior Operador do esquema Youssef Condenado [2] [3] Condenação por lavagem de dinheiro a 4 anos e 5 meses e multa de R$ 20 mil
Pedro Corrêa Ex-deputado PP Condenado [19] Condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 20 anos, 7 meses e 10 dias de prisão
Raul Henrique Srour Doleiro Condenado [20] Condenação por lavagem de dinheiro e operação fraudulenta de câmbio a 7 anos e 2 meses de prisão em regime semiaberto e multa de R$108,6 milhões
Renê Luiz Pereira Núcleo operacional e financeiro Youssef Condenado [3] Condenação por tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e evasão de divisas a 14 anos em regime fechado e multa de R$ 632.574,00
Rinaldo Gonçalves de Carvalho Ex-gerente, ligado a Youssef Banco do Brasil Condenado [3] Condenação por corrupção passiva a 2 anos e 8 meses de reclusão
Pedro José Barusco Filho Ex-gerente de Serviços Petrobras Condenado [1] Condenação por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa
Renato de Souza Duque Ex-diretor de Serviços Petrobras Condenado [1] Condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro a 20 anos e 8 meses de reclusão
Ricardo Hoffmann Operador ligado a André Vargas Borghi Lowe Condenado [4] [5] Condenação a 12 anos e 10 meses e multa de 5 salários mínimos por 230 dias (mais de R$ 906 mil)
Sônia Mariza Branco Operadora do esquema Condenada [1] Condenação por lavagem de dinheiro e associação criminosa a 9 anos e 10 meses de reclusão
Waldomiro de Oliveira Sócio-proprietário MO Consultoria
Sanko Sider
Condenado [2] [3] Condenação por crime de organização criminosa e lavagem de dinheiro a 11 anos e 6 meses de prisão em regime fechado e multa de R$ 148 mil
Réu na Justiça Federal A julgar acusações de formação de cartel, frustração à licitação, corrupção ativa e passiva, evasão fraudulenta de divisas, uso de documento falso e sonegação de tributos federais
José Carlos Bumlai Pecuarista Condenado [21] Condenação por corrupção passiva e gestão fraudulenta de instituição financeira a 9 anos e 10 meses de reclusão

 

É de estarrecer o pequeno número de petistas!

Não adianta muito condenar e prender apenas os empresários e operadores envolvidos no esquema de poder montado pelo PT.

Para desbaratar a organização criminosa que assaltou o Estado brasileiro na última década, basta investigar 20 pessoas e seus 10 correligionários mais próximos, acusá-los (quando for o caso), processá-los e puni-los de acordo com a lei (se ficar provado que são culpados, é claro).

Sim, basta mapear a rede a partir dos 20 nodos seguintes:

Lula (e Roberto Teixeira),

Dirceu,

Gushiken (falecido, mas estão aí seus meninos que foram parar em fundos de pensão),

Palocci,

Delúbio,

Vaccari,

Paulo Teixeira,

Filippi,

Edinho,

Berzoini,

Silvinho,

Gilbertinho,

Dulci,

Okamotto,

Paulinho,

Bargas,

Marco Aurélio Garcia,

Mercadante e

Gabrielli.

É claro que alguns desses – e vários outros nodos, mapeados em suas redes de primeiro grau – podem restar inocentes, na fase de investigação (ou nem serão acusados) e mesmo depois de concluído o devido processo legal. Mas não se chegará a quase nada se não se fizer uma análise da rede social onde as pessoas acima figuram como hubs e netweavers.

Uma verdadeira operação Mãos Limpas no Brasil exige esse esforço. Feito isso, trata-se de evitar que a “Mani Pulite” brasileira tenha o mesmo desfecho da sua congênere italiana.


Democracy Unschool é um ambiente de livre investigação-aprendizagem sobre democracia, composto por vários itinerários. O primeiro itinerário é um programa de introdução à democracia chamado SEM DOUTRINA. Para saber mais clique aqui

A confusão neopopulista entre público e privado

O erro dos legalistas, o erro de Moro e o truque do PT