in ,

Um roteiro de investigação para novos pensadores

Este é o terceiro artigo de uma série chamada Novos Pensadores. O primeiro foi intitulado É tempo de novos pensadores e o segundo Seja um novo pensador.

No primeiro artigo falamos de desentendimentos que dificultam a conversação, citando, sem qualquer ordenação, alguns exemplos (em sete tabelas-vacinas contra as objeções primárias dos decoradores de catecismos, título que foi apenas um recurso provocativo feito em uma sequência de posts no Facebook). Agora, porém, esses exemplos foram agrupados para servir como um roteiro de investigação para novos pensadores.

Tal roteiro foi pensado para balançar as convicções dos seguidores de doutrinas ou dos que repetem, sem perceber, os pensamentos alinhados a determinadas ideologias ou visões de mundo que circulam amplamente nas academias, nas organizações da sociedade e do Estado, nas empresas, nos meios de comunicação e, inevitavelmente, nas conversas informais em grupos de pessoas em qualquer lugar. Como as conversações acabam gerando circularidades inerentes, essas visões vão virando uma cultura, ou seja, vão se replicando, como que automaticamente, mesmo sem a intenção dos interagentes de propagá-las. De sorte que, para citar dois exemplos, “todo mundo sabe” que não se pode organizar nada sem um mínimo de hierarquia ou “todo mundo sabe” que não se pode mobilizar a ação coletiva sem lideranças destacadas. Quando se tem a sensação de que “todo mundo sabe” é sinal de que determinada visão particular – tomada por geral e evidente por si mesma – já virou uma cultura.

Mudar uma cultura não é tarefa fácil. É necessário questionar os fundamentos do que “todo mundo sabe”, interrompendo as circularidades que se estabelecem em conversações recorrentes. Por isso foram escolhidos os temas listados abaixo, para constituir uma espécie de programa aberto sobre as novas visões emergentes do mundo no dealbar deste século 21, do ponto de vista das redes e da democracia. Novas visões da humanidade, da história humana, da civilização, da cultura, da sociedade, da comunidade, da política, da sabedoria, da inteligência humana, da criatividade e da inovação, da educação, da filosofia e da ciência.

O programa é aberto porque a conversação sobre cada um dos temas elencados evocará outros temas conexos que, por sua vez, ao serem objeto de investigação, remeterão ao reexame dos assuntos originais. O fato de ser um programa aberto significa também que ele será um exercício permanente de pensamento, digamos, fora da caixa ou na contra-mão do rebanho. E tal exercício não tem fim.

PROGRAMA INICIAL

Você fala REDE A pessoa entende INTERNET
Você fala REDE SOCIAL A pessoa entende MÍDIA SOCIAL (COMO O FACEBOOK)
Você fala INTERAÇÃO A pessoa entende PARTICIPAÇÃO
Você fala COMUNICAÇÃO A pessoa entende transmissão de INFORMAÇÃO
Você fala PADRÃO A pessoa entende MODELO
Você fala DISTRIBUIÇÃO A pessoa entende DESCENTRALIZAÇÃO
Você afirma que NÃO EXISTE HIERARQUIA NA NATUREZA (não-humana) A pessoa retruca com os exemplos do formigueiro e da colmeia, com suas “RAINHAS”
Você fala ORGANIZAÇÃO A pessoa entende HIERARQUIA
Você fala LÍDER A pessoa entende CHEFE
Você fala COLABORAÇÃO A pessoa entende satisfação de INTERESSE MÚTUO
Você fala TRANSIÇÃO A pessoa entende SUBSTITUIÇÃO
Você fala SOCIAL A pessoa entende CONJUNTO DE INDIVÍDUOS
Você fala FLUXO A pessoa não entende…
Você fala PESSOA A pessoa entende INDIVÍDUO
Você fala SOCIEDADE A pessoa entende PAÍS (ou ESTADO-NAÇÃO)
Você fala POLÍTICA A pessoa entende LUTA PARA CONQUISTAR E MANTER O PODER
Você diz que o sentido da política não é a igualdade, mas a LIBERDADE A pessoa entende que você está justificando a DESIGUALDADE
Você fala DEMOCRACIA A pessoa entende ELEIÇÃO
Você critica a DEMOCRACIA REPRESENTATIVA A pessoa acha que você está propondo alguma forma de DEMOCRACIA DIRETA OU PARTICIPATIVA
Você fala PÚBLICO A pessoa entende ESTATAL
Você fala BEM COMUM A pessoa entende SEM DONO
Você fala PAZ A pessoa entende AUSÊNCIA DE CONFLITO
Você fala GUERRA A pessoa entende VIOLÊNCIA
Você fala REVOLUÇÃO A pessoa entende TOMADA DO PODER (DE ESTADO)
Você fala que a democracia valoriza igualmente qualquer OPINIÃO A pessoa acha que você está desvalorizando o SABER
Você fala de honra ao MÉRITO A pessoa pensa que você está defendendo uma MERITOCRACIA
Você fala que os democratas sempre foram MINORIA A pessoa interpreta que esta é uma ideia de ELITE
Você critica o POPULISMO A pessoa acha que isso é ELITISMO
Você diz que não concorda com as ideias da DIREITA A pessoa acha que é porque você é de ESQUERDA
Você diz que não concorda com as ideias da ESQUERDA A pessoa acha que é porque você é de DIREITA
Você fala POBREZA A pessoa entende INSUFICIÊNCIA DE RENDA
Você fala GLOBALIZAÇÃO A pessoa entende GLOBALISMO
Você escreve GLOCALIZAÇÃO A pessoa acha que é um erro de digitação…
Você fala em ECONOMIA DE MERCADO A pessoa acha que você defende uma SOCIEDADE COMPETITIVA
Você fala LIVRE MERCADO A pessoa acha que você está defendendo o CAPITALISMO
Você critica o CAPITALISMO A pessoa conclui que você defende o SOCIALISMO
Você fala LIBERALISMO A pessoa entende que você está se referindo a uma doutrina do LIBERALISMO ECONÔMICO
Você critica o ESTATISMO A pessoa conclui que você defende algum tipo de MERCADOCENTRISMO
Você aponta os limites do INDIVIDUALISMO A pessoa acha que você defende algum tipo de COLETIVISMO
Você diz que a DEMOCRACIA É UM VALOR UNIVERSAL A pessoa entende que a DEMOCRACIA É UM VALOR OCIDENTAL
Você fala na HISTÓRIA DA HUMANIDADE A pessoa entende HISTÓRIA DA CIVILIZAÇÃO (PATRIARCAL)
Você diz que a democracia não precisa de doutrina, é SEM DOUTRINA A pessoa entende que você está defendendo uma nova DOUTRINA
Você diz que a democracia não é o governo de todos, mas de QUALQUER UM A pessoa, simplesmente, não entende…
Você fala APRENDER A pessoa entende adquirir mais CONHECIMENTO
Você fala APRENDIZAGEM A pessoa entende ENSINO (OU EDUCAÇÃO)
Você fala AMBIENTE DE APRENDIZAGEM A pessoa entende ESCOLA
Você fala COCRIAÇÃO A pessoa entende reunião de DISCUSSÃO
Você diz que a liberdade é a LIBERDADE DE NÃO TER RUMO A pessoa retruca que nenhum vento pode lhe ser favorável se você não sabe para onde ir
Você fala ESPIRITUALIDADE A pessoa entende RELIGIÃO
Você critica a RELIGIÃO A pessoa acha que você é ATEU
Você fala LAICO A pessoa entende ATEU

Em termos práticos um programa como este, se conduzido por uma pessoa, só pode se materializar como uma espécie de curso (na verdade, um percurso sem resultado esperado a não ser ensejar o pensamento desviante que não repete, mas cria seus próprios caminhos e, assim, talvez fosse melhor chamá-lo de descurso – se isso não dificultasse tanto a compreensão).

Este curso (descurso) será um programa semanal ao vivo, conduzido por mim, sem dia para terminar (e, para quem quiser se associar à iniciativa, também sem dia para começar, quer dizer, uma pessoa pode entrar a qualquer momento pois os temas que já foram visitados serão revisitados).

Se você ficou interessado, por favor deixe um comentário abaixo ou no artigo É tempo de novos pensadores. Se você quiser saber mais sobre os fundamentos conceituais da iniciativa, leia o artigo Seja um novo pensador e os demais da série Novos Pensadores, que serão publicados nos próximos dias.


Democracy Unschool é um ambiente de livre investigação-aprendizagem sobre democracia, composto por vários itinerários. O primeiro itinerário é um programa de introdução à democracia chamado SEM DOUTRINA. Para saber mais clique aqui

Deixe uma resposta

Loading…

Deixe seu comentário

Muito cuidado com essa história de “Liga da Justiça”

Quem tem foro privilegiado no Brasil