in

A confissão

Articulação de Lula e Dirceu (a verdadeira direção do PT) – por meio do seu capítulo mineiro – apresenta uma tese ao sexto congresso nacional do partido confessando que fazer “caixa 2” (um eufemismo para: usar o dinheiro do crime) é não só necessário, mas justifica-se como um recurso de guerra. É inacreditável. Vejam um trecho (para o qual fui alertado pelo O Antagonista). O link está abaixo:

“A disputa eleitoral é estratégica para o Partido dos Trabalhadores e não a menos importante. O projeto que o PT defende para o país será ampliado na sociedade e no Estado e terá mais visibilidade social através de suas vitórias eleitorais e de sua atuação no Estado.

Sob essa lógica, vale resgatar uma das leis da guerra. O contendor que se dispõe a investir mais fortemente contra o seu adversário será quem determinará o ritmo do combate [cf. CLAUSEWITZ, Car Von. Da guerra. São Paulo: Martins Fontes, 1996] . Em outras palavras, se o adversário se dispõe a utilizar armas ainda mais pesadas, cabe igualar as condições deste ou se retirar do conflito.

Na situação exposta acima, como o PT poderia disputar eleições sem recursos enquanto todos os partidos neoliberais o tinham de sobra e de várias fontes? Seria impossível disputar com chances de vitória sem os instrumentos necessários. É perfeitamente lógico que o Partido dos Trabalhadores, apresentando um projeto ao país, disputando um novo rumo para a nação, tenha buscado se financiar para tal. Para aqueles cujo objetivo é a subversão das instituições vigentes é perfeitamente plausível ignorar as necessidades da disputa ou para outros, apenas repassar a terceiros a tarefa, fingido-se de que nada tem haver com isso.”

Tudo errado

Em primeiro lugar porque não se trata caixa 2 e sim de dinheiro do crime, inclusive lavado como caixa 1.

Em segundo lugar porque a disputa eleitoral não pode seguir as leis da guerra (posto que a democracia é o contrário da guerra), a não ser para aqueles que dela participam com o objetivo de mais adiante aboli-la (ou torná-la desnecessária). É o que faz o PT: usa a democracia (notadamente as eleições) contra a democracia: ou se apoia na eletividade para derruir os outros critérios da legitimidade democrática, como a liberdade, a rotatividade ou alternância, a publicidade ou transparência, a legalidade e a institucionalidade.

Eis a prova! Eles confessam que fizeram. Confessam que sabiam exatamente o que fizeram. Confessam que acham legítimo o que fizeram. Isso só pode levar a uma coisa: a extinção do registro do PT.

Confiram. Leiam a íntegra do documento clicando aqui.

NOTA DE 21/03/2017 19:20

Incrível. O PT tirou do ar a página que continha a tese da Articulação de Minas Gerais. Até hoje de manhã estava funcionando. Vejam abaixo o que aparece agora:

PT tirou do ar

Felizmente o cache do Google recuperou a página. Está tudo publicado no artigo A página que o PT tirou do ar.


Democracy Unschool é um ambiente de livre investigação-aprendizagem sobre democracia, composto por vários itinerários. O primeiro itinerário é um programa de introdução à democracia chamado SEM DOUTRINA. Para saber mais clique aqui

Deixe uma resposta

Loading…

Deixe seu comentário

Encontro sobre democracia

Consenso de Nossa América